segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Para ser um bom líder é preciso ter nascido líder?

Tenho ouvido por diversas vezes uma pergunta: as pessoas nascem líderes ou se desenvolvem como tal? Dá para ser um bom líder sem ter nascido com essa habilidade? Em minha opinião, existem pessoas que nascem com excepcionais dons de liderança. Conseguem levar pessoas aonde querem sem grandes esforços. Estas poderão se desenvolver e se tornarem grandes líderes, até a serem líderes mundiais de grande calibre. Aliás, você só consegue ser um grande líder, desses que se destacam, que deixam sua marca na humanidade, assim como Gandhi, Mandela, João Paulo II e outros, se nascer com esses dons, se for um líder nato. Porém, para ser um bom líder de equipe nas organizações você não precisa ter nascido com essas características. Você pode trabalhar características fundamentais e se tornar um bom líder de equipe. A liderança pode ser aprendida.
Ser líder é diferente de ser administrador, gerente ou chefe. Liderar é influenciar pessoas, administrar é lidar com recursos tecnológicos, materiais, físicos, financeiros; lidar com papéis, coisas, processos. Um chefe pode ser nomeado numa hierarquia, independentemente de possuir ou não as virtudes necessárias.
São vários os conceitos de liderança, já que liderar é algo muito abrangente. Liderança é uma arte. É a arte de conduzir as pessoas para que façam o que é necessário por livre e espontânea vontade. É ser capaz de influenciar o outro. Líderes especiais conseguem extrair o melhor de cada pessoa, dando-lhe autoridade para que possa ter suas próprias idéias e agir de acordo com elas. E mais: devem saber ouvir, acabando, assim, com uma característica de alguns antigos “chefes”: a onipotência.
Um dos atributos principais da liderança é a capacidade de administrar, de defender assuntos de sentidos opostos. Por exemplo, você precisa defender os interesses da organização junto aos colaboradores e ainda os interesses dos colaboradores junto à direção da organização. Então, se quiser conseguir isso procure ter empatia, ou seja, saber se colocar no lugar dos outros, entender o ponto de vista dos outros para assim conseguir defendê-los.
Os líderes mais eficazes são aqueles capazes de adaptar seus estilos às exigências de uma situação ou grupo específico. É óbvio que também será de extrema ajuda a aquisição do conhecimento técnico e profissional. No entanto, ter conhecimento apropriado não basta para qualificá-lo como líder. Isso é necessário, mas não suficiente.
 A propósito, a liderança é uma característica a ser desenvolvida. O líder não nasce pronto. Ela pode ser aperfeiçoada desde que se tenha como premissas básicas o “foco nos objetivos” e a “vontade de ajudar o outro”, resgatando o potencial de cada indivíduo e estimulando-o favoravelmente.
Aliás, os verdadeiros líderes conseguem tocar o coração das pessoas antes de pedir ajuda. Existem líderes que, diante de um grupo de pessoas, só vêem um grupo. Mas os grandes líderes, diante de um grupo, enxergam pessoas distintas, cada qual com suas aspirações, cada qual querendo viver, cada qual querendo mostrar suas competências.
Enfim, a liderança nasce com a pessoa ou pode ser desenvolvida? Acredito que algumas pessoas nascem com características de liderança. E estas, quando desenvolvem, aperfeiçoam essas características conseguem se tornar grandes líderes quando adultos. Mesmo assim, a liderança pode ser desenvolvida por qualquer pessoa que quiser, mesmo não tendo nascido com esse dom. Porém, para isso é preciso ter vontade, esforço e muita dedicação.

Sonia Jordão é especialista em liderança, palestrante e escritora, com centenas de artigos publicados.  Autora dos livros: “A Arte de Liderar” – Vivenciando mudanças num mundo globalizado, “E agora, Venceslau? – Como deixar de ser um líder explosivo”, “E agora, Lívia? – Desafios da liderança” e de “E agora, Alex? Liderança, talentos, resultados”. Co-autora dos livros “Ser + com T&D” e “Ser + com palestrantes campeões”.