quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Liderando equipes virtualmente

No mundo atual, a tecnologia e a globalização abriram espaço para o surgimento de um novo tipo de equipe: a virtual. Essas estão sendo utilizadas cada vez com maior freqüência tendo em vista a necessidade de informações e respostas mais rápidas, as fusões e as pressões por diminuição de preços e prazos.
Uma equipe virtual é um grupo de pessoas que trabalham interdependentemente com um propósito comum, através de fronteiras espaciais e temporais.
Uma vez que as pessoas que são comandadas virtualmente estarão sob pouca ou nenhuma supervisão imediata, precisam ter algumas características pessoais que podem ser chamadas de “competências virtuais”. Entre elas estão: conhecimento da tarefa a ser executada, habilidades e alguma experiência para desenvolver o trabalho a que se propõe, iniciativa, capacidade de decisão, responsabilidade, conhecimento das ferramentas de comunicação a serem usadas, auto-motivação e autonomia para decidir.
O líder virtual precisa atentar para diversos aspectos, como a existência de metas bem definidas e o local em que serão realizadas as tarefas de modo a que o trabalhador consiga executá-las suas tarefas sem maiores dificuldades. Apesar de a liderança ser virtual, quem a exerce precisa buscar, sempre que possível, realizar reuniões presenciais. O contato humano poderá ser suplementado pelo meio virtual, mas nunca substituído. Vale lembrar que computador não tem carisma, e-mail não sorri e nem tem brilho nos olhos.
Buscar também responder cada e-mail ou solicitação, pela internet ou por telefone, o mais rápido possível, e estar sempre à disposição da equipe, é de fundamental importância. Assim, os integrantes da equipe podem perceber sua presença, mesmo à distância, olhando e avaliando cada tarefa deles e dando retorno imediato.
Deve-se procurar mostrar para os colaboradores a importância de se usar ferramentas de comunicação de menor custo, tais como a internet. Todos precisam sentir que se a organização não for lucrativa, todos sairão perdendo.
Os líderes precisam ler muito, ter tempo para administrar a relação com sua equipe e sempre procurar reler suas correspondências antes de enviá-las, para evitar que erros de português e/ou mensagens mal escritas tenham interpretação diferente da desejada.
A possibilidade de criação de grupos virtuais passou a desempenhar um papel importante até mesmo na educação, abrindo novas possibilidades com o ensino à distância.
Muitas vezes, lidera-se um grupo onde nem se conhece a grande maioria. É o caso das comunidades virtuais. E, nesse contexto, sempre temos uma ou mais pessoas que lideram determinados assuntos, mesmo que seja uma festa ou um chope.
Texto do livro A Arte de Liderar – Vivenciando Mudanças num Mundo Globalizado.

Sonia Jordão é especialista em liderança, palestrante e escritora, com centenas de artigos publicados.  Autora dos livros: “A Arte de Liderar” – Vivenciando mudanças num mundo globalizado, “E agora, Venceslau? – Como deixar de ser um líder explosivo”, “E agora, Lívia? – Desafios da liderança” e de “E agora, Alex? Liderança, talentos, resultados”. Co-autora dos livros “Ser + com T&D” e “Ser + com palestrantes campeões”.